Doenças de Inverno

P: Porque adoecemos mais no inverno?
R: Quando chega o frio às pessoas (principalmente crianças e idosos), adoecem mais. Parece inevitável. Você parou para pensar por que isso acontece?
O inverno exige várias adaptações de nossos hábitos e de nosso organismo para podermos resistir ao frio: tendemos a permanecer mais tempo em locais fechados, gastamos mais energia para manter a temperatura do corpo e ficamos muito mais expostos à umidade, que é especialmente alta em algumas regiões do Brasil.
As conseqüências dessas mudanças são bem conhecidas: problemas respiratórios, alergias, gripes e resfriados. As pessoas pensam que as doenças de inverno são inevitáveis, mas a verdade é que, com alguns cuidados, elas podem ser afastadas, ou, pelo menos, se apresentarem de forma muito mais branda. Entre as principais vítimas das doenças de inverno, estão os idosos e as crianças, como disse anteriormente, a quem devemos dispensar uma atenção especial. É que, por terem o sistema imunológico “mais fraco”, elas são ainda mais vulneráveis às doenças e às crises de alergia, que tendem a aumentar muito com a umidade.

P: Quais são as principais doenças que se manifestam no inverno?
RINITE: É caracterizada por espirros, prurido nasal, coriza e nariz entupido. A crise pode ser causada por alergenos (poeira, pólen, mofo ou pêlo de animal). Procure evitá-los e mantenha uma boa alimentação. Em caso de recorrência necessita de tratamento preventivo.
SINUSITE: É uma inflamação dos seios da face. Ocasiona dor no rosto acima e abaixo dos olhos, muco espesso ou pus no nariz, às vezes com mau cheiro, nariz entupido e febre. Sempre que pegar um resfriado ou o nariz estiver entupido, tente mantê-lo limpo. Não assoe o nariz com força.
BRONQUITE: Facilmente confundida com a asma, é uma inflamação dos brônquios que provoca inchaço na mucosa e dificulta a passagem de ar. Evite o fumo.
ASMA: É a inflamação das vias aéreas quando os sintomas comuns são: a falta de ar, acompanhada de respiração ofegante, tosse e congestão nasal. As causas da asma são a alergia à poeira, ao mofo e ao pelo de animais, as mudanças do tempo e até emoções mais fortes.
O ideal é que você conheça e mantenha sob controle os fatores desencadeantes da asma.
PNEUMONIA: É uma infecção nos pulmões. Ocorre freqüentemente após outra doença respiratória.
Caracteriza-se por calafrios seguidos de febre alta, respiração rápida, dor no peito e tosse (muitas vezes com muco amarelado, esverdeado, cor de ferrugem com rajas de sangue)
RESFRIADO: Ataca principalmente o nariz e a garganta, causando espirros, coriza e tosse. A recuperação acontece em dois ou três dias. Exercícios regulares, boa alimentação, descanso e ingestão de bastante líquido são ideais para prevenir o resfriado.
Evite lugares fechados.
GRIPE: Em geral, há um cansaço extremo, febre por dois ou três dias, dores no corpo, dor de cabeça e na garganta e coriza. A melhora ocorre depois de três ou cinco dias. Você pode prevenir a gripe com uma alimentação saudável, bebendo muita água, fazendo exercícios e dormindo bem. A vacina também reforça a imunidade.
TOSSE: É um meio que o organismo utiliza para limpar o aparelho respiratório e expulsar o catarro (muco com pus) e os microorganismos da garganta ou dos pulmões. Por isso, quando a tosse produz catarro, não tome nenhum medicamento para cessar a tosse, beba bastante água, evite o fumo e procure orientação para soltar e expulsar o catarro.

P: Como faço para prevenir as doenças de inverno?
R: Mantenha o ambiente ventilado sempre que puder.
Em dias de sol retire a roupa de uso diário e coloque-as ao sol ou, se possível, estenda-as ao ar.
RETIRE bichinhos de pelúcia e almofadas dos quartos.
Evitar animais dentro de casa.
Evitar contatos com pessoas doentes.
Lave constantemente as mãos com aguá e sabão, principalmente quando vier da rua ou estiver gripado.
Mantenha crianças agasalhadas e com os pés quentinhos.
Banhe seu filho na hora mais quente do dia.
Evite bebidas geladas.
Quando usar calefação, ar condicionado, aquecedores, não utilize por períodos  prolongados para evitar o ressecamento do ar.
NÃO tussa, espirre ou FUME perto da criança.
Seguir rigorosamente as indicações de seu médico.

Colaboração: Dr. Paulo Fontella Filho
Fontellafilho@Hotmail.com
Postar um comentário