Prevenção de Alergia

A alergia é uma reação excessiva do nosso organismo a substâncias que ele considera como nocivas/estranhas apesar de eventualmente não serem.
A maioria das pessoas com alergia sofre de atopia, que se manifesta classicamente sob três formas: a dermite atópica (eczema), a rinite, conjuntivite e a asma alérgica.
As pessoas atópicas têm uma predisposição hereditária para fabricarem anticorpos da classe IgE. Sabe-se que uma criança em que um dos pais tenha antecedentes alérgicos tem 20-30% de probabilidade de ser alérgico. Se os dois pais tiverem antecedentes alérgicos, o risco será de 45-60%. Se estiver afetado um dos irmãos, a probabilidade é de 35%. No entanto, a alergia pode “saltar” uma geração.
A “marcha alérgica” (evolução natural da doença alérgica) é geralmente a seguinte:
No 1º e 2º anos de vida a alergia alimentar pode ser a primeira manifestação, tendo como tradução clínica mais frequente os problemas cutâneos (dermite atópica ou eczema atópico, urticária), as manifestações do aparelho digestivo (angioedema ou edema da glote, vomitos, diarreia) e com menos frequência as manifestações respiratórias (tosse), a anafilaxia e a deficiente progressão ponderal. O leite de vaca, a clara e a gema do ovo, o peixe, o amendoim e o trigo são os principais alergenos alimentares. Na maioria dos casos, a alergia alimentar costuma atenuar-se/desaparecer entre os 2 e os 5 anos de idade.
Entre os 2 e os 4 anos surgem os sintomas de alergia respiratória alta (rinite, rinofaringite, otite serosa), e menos frequentemente os acessos de tosse espasmódica de predomínio noturno, tosse ao riso e o esforço. Estas últimas manifestações são sugestivas do “estádio pré-asmático”.
Entre os 5 e os 6 anos, surgem as crises de dispneia (falta de ar) paroxísticas e a rinite recorrente que levam frequentemente ao diagnóstico de asma brônquica e de rinite alérgica, respectivamente. Os principais alergnos nesta fase são os ácaros do pó doméstico (Dermatophagoides pteronyssinus e farinae), que são responsáveis por 65-90% dos casos de asma. Entre outros alergénios contam-se os pólens de gramíneas e os pêlos dos animais domésticos (cão, gato, periquitos, etc.).
Na idade escolar surge geralmente as rino-conjuntivites, mantendo-se os alergenos da fase anterior.
Os indivíduos com alergias podem ainda reagir a alguns estímulos irritantes, tais como: poluentes (fumo do tabaco, poluição atmosférica), mudanças climaticas, umidade, exposição industrial e ocupacional e medicamentos (ibuprofeno, penicilina e derivados, etc.).
PREVENSÃO DE ALERGIA-ALGUMAS DICAS
ANTES DO NASCIMENTO
Os pais devem:
· Parar de fumar.
· Não terem animais em casa.
· Evitar o pó em casa e ventilá-la.
DEPOIS DO NASCIMENTO
· Promover o aleitamento materno durante pelo menos 6 meses, mas evitando a mãe os alimentos mais alergênicos como ovos, amendoins, soja, etc.
· Não vestir demasiado as crianças.
· Evitar os tecidos sintéticos e as lãs em contato com a pele (optar sempre que possível por roupas de algodão).
· Utilizar um sabão suave, e enxaguar muito bem as roupas. Evitar os amaciadores. Sempre que
possível, lavar a altas temperaturas (> 55 ºC).
· Evitar situações de contatos com pó, penas, pêlos, pólenes, tintas, etc.
· Arejar a casa de manhã cedo ou ao final do dia.
· Não dormir com almofadas ou colchões que tenham penas, palha, etc.
· Evitar o contato com cobertores de lã.
. Retirar do quarto os bonecos de pelucia e as plantas.
· Evitar muitos contatos com animais de penas ou de pêlos (periquitos, gatos, cão, etc.).
· Evitar estar perto, quando aspiram o pó da casa, bem como dos prédios em construção, ou obras ou pinturas em casa. Limpar o pó com pano úmido.
· Aspirar frequentemente os lençóis da cama com um aspirador.
· Evitar o fumo do tabaco (casa, outros locais).
· Não viajar de carro com as janelas abertas (principalmente se alérgico aos pólenes).
· Em zonas rurais, evitar sair à rua a partir das 12:00 H – pico de polinização – (principalmente se alérgico aos pólens).
· Nas cidades evitar sair à rua ao fim da tarde por causa da poluição.
Postar um comentário