Fornecer ou não leite de vaca na primeira infância?

Como você se sentiria caso soubesse que o leite pode não ser tão saudável como pensa? No mínimo frustrada, imagino. Afinal, crescemos ouvindo que esse alimento não deve faltar numa dieta saudável. Pesquisas recentes, no entanto, afirmam que nem sempre ele é bem-vindo ao nosso organismo. A discussão ainda tem pouco eco no Brasil, ao contrário do que acontece em países como os Estados Unidos e a França, onde o assunto virou polêmica.
O leite de vaca...
Tanto e tão pouco
Muitos peritos em nutrição infantil recomendam a não introdução do leite de vaca ou derivados do leite na dieta durante o primeiro ano de vida da criança. Isto porque tem quantidades exageradas de alguns nutrientes, tais como proteinas e sal, e quantidades insuficientes de outros, tais como ferro e algumas vitaminas. A melhor fonte de nutrição de seu bebê éo leite materno, mas se não amamentar, uma fórmula infantil de qualidade é melhor opção de substituição ao invez de leite de vaca.
Os Nutrientes Corretos nas quantidades corretas
Os nutrientes que seu bebê necessita são proteínas, gorduras, hidratos de carbono, vitaminas e minerais. O leite materno fornece todos estes nutrientes nas quantidades corretas, além de fornecerem imunoglobulinas importantes para proteger os bebês de doenças. As fórmulas infantis, tendo como padrão o leite materno, possuem uma quantidade adequada de nutrientes.
Já o leite de vaca e seus derivados, apesar de terem os mesmos nutrientes básicos, não fornecem na mesma quantidade ou proporção que o leite materno ou uma fórmula infantil.
Proteínas
As proteínas são indispensáveis para a formação de tecidos saudáveis e são essenciais para o crescimento e desenvolvimento do seu bebê. Porém, proteínas em demasia poderão ser prejudiciais. O leite de vaca contém muito mais proteínas do que aquelas que o bebê necessita. Os recem nascidos, em particular, tem rins imaturos que acabam fazendo um esforço maior para eliminar o excesso de proteínas ingeridas atrevés do leite de vaca.
Gorduras
O leite de vaca é rico em gorduras saturadas (manteiga) que o bebê não consegue digerir facilmente. Um excesso de gorduras saturadas pode interferir com a absorção do cálcio, o que pode constituir um problema, pois o calcio é essencial para o crescimento dos ossos e dentes. O excesso de gorduras saturadas pode levar a problemas cardíacos. O leite de vaca também possui quantidades insuficientes de ácidos graxos importantes para a manutenção de uma pele saudável.
Vitaminas
Ao contrário do leite materno e das fórmulas infantis, o leite de vaca não contém uma quantidade suficiente de algumas vitaminas, especialmente as vitaminas A, C, D e E. Os bebês necessitam de :
  • Vitamina A para que olhos, cabelos, pele e denstes se mantenham saudáveis.
  • Vitamina C para a reparação dos tecidos.
  • Vitamina D para uma boa absorção do cálcio, originando ossos e dentes saudáveis.
  • Vitamina E para que os glóbulos vermelhos, músculos se mantenham saudáveis.

Ferro

O leite de vaca não fornece a quantidade de ferro que os bebês necessitam. Um bebê em crescimento precisa de ferro para produzir quantidade suficiente de glóbulos vermelhos saudáveis. A falta de ferro pode causar anemia, um problema de saúde que pode afetar a capacidade do bebê para manter atenção a estímulos externos, assim como a sua capacidade aprendizagem. O leite materno é uma excelente fonte de ferro para o bebê. Porém, se não amamentar, a melhor fonte de ferro para o seu bebê é um leite adaptado fortificado com esse elemento.

Sal

O leite de vaca contém quase tres vezes mais sal que oleite materno ou uma fórmula infantil. Embora o sal seja um nutriente essencial, o seu excesso não é bom para os bebês, pois, pode constituir uma sobrecarga para os rins.

Preparando o caminho para um futuro saudável

A base do desenvolvimento de uma criança passa necessariamente pela sua nutrição. O LEITE MATERNO É A MELHOR FONTE DE ALIMENTO PARA SEU BEBÊ NOS PRIMEIROS 6 MESES DE VIDA. As crianças alimentadas com o leite materno crescem mais saudáveis, adoecem menos, tem menos casos de alergia (rinite, bronquite, dermatite atópica, etc), não fazem anemia, tem menos casos de constipação e problemas intestinais, tem uma capacidade intelectual média maior. Aquelas mães que por ventura não conseguirem amamentar, devem seguir as orientações do seu pediatra, que vai lhe orientar o uso da fórmula infantil adequada para seu bebê, além de lhe dar outras orientações nutricionais.

Postar um comentário