Homeopatia: a controvérsia continua


No último número da revista The Lancet (sem dúvida, uma das mais prestigiosas revistas médicas de todo o mundo) foram publicados artigos que colocam em dúvida a eficácia da Homeopatia.
Um dos artigos, baseado em uma pesquisa, os autores chefiados por Mathias Egger pesquisador Suíço,afirma que os efeitos clínicos da homeopatia são similares aos obtidos com placebos (substância sem valor médico). Em um editorial com o título "O fim da homeopatia" o The Lancet diz que o mais surpreendente não são os resultados dos estudos, mas que o debate continua "após 150 anos de resultados desfavoráveis" à homeopatia.
A homeopatia foi criada no fim do século 18 pelo médico alemão Samuel Hahnemann(1755-1843). Para a revista é curioso que "quanto mais diluídas se tornam as evidências da homeopatia, aparentemente maior é a sua popularidade" . Segundo os editores apesar de não haver comprovações científicas dos benefícios da terapia, ela não apenas é muito popular em todo o mundo como o seu uso tem crescido nos últimos anos. O governo suíço, após divulgação de um estudo clínico de cinco anos, decidiu retirar a cobertura dos tratamentos homeopáticos do sistema nacional de saúde.
A revista ainda combate o relatório preliminar publicado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), feito pelo mesmo grupo que avaliou a acupuntura em 2003, em outra análise que causou muita controvérsia. O relatório da OMS, sobre homeopatia, afirma que o método terapêutico se mostrou superior ao placebo em experimentos corretamente controlados e "equivalente à medicina convencional no tratamento de doenças, tanto em homens quanto em animais". O Professor EDZARD Ernst da Escola Médica Península, do Reino Unido escreveu que, "o relatório é baseado em dados positivos e esquece os negativos encontrados em outros estudos", e continuou, "a OMS não deveria promover a homeopatia da mesma forma que fez com a acupuntura". Como vemos a polêmica continua.
Postar um comentário