Exposição Solar em crianças

A exposição solar é necessária e fundamental para o ser humano. Temos a necessidade de exposição solar para produzir uma vitamina fundamental para o nosso organismo que é a vitamina D. Essa vitamina é a responsável pelo fortalecimento dos ossos. Sem falar que existem estudos comprovando que as pessoas com boa exposição solar são mais ativas, felizes e saudáveis.
Mas, o horário dessa exposição é antes das 10:00 e posterior as 16:00h, ou seja, deve ser evitado a exposição no horário de pico solar, e só se necessita cerca dez minutos de exposição ao sol  para  ajudar  na  síntese  de  vitamina  D.

O acúmulo da radiação solar durante os anos é o responsável pelo maior aparecimento de câncer e envelhecimento precoce da pele.
O ser humano dispõe de mecanismos protetores naturais contra as radiações solares. Entretanto, estes são insuficientes e, por isso, torna-se necessário evitar o excesso de exposição ao sol e proteger adequadamente a pele, a fim de minimizar as lesões cutâneas causadas pela radiação solar, que é composta por 47% de ultravioleta B, 18% de ultravioleta A2 e 9% de ultravioleta A1.
Os filtros solares estão se tornando, a cada dia, mais seguros, mesmo com o uso prolongado e, portanto, seu uso regular e abundante deve ser encorajado.
O FDA ( Food and Drug Administration - órgão que regula os medicamentos nos EUA) não recomenda o uso de protetores solares, em crianças com menos de seis meses de idade, devido a sua maior absorção através da pele do bebê, e também pela possível dificuldade de ser eliminado pela imaturidade de seu sistema excretor. Após completar os seis meses, a pele da criança apresenta a mesma estrutura que a de adultos, e o FDA recomenda o uso de protetores solares com FPS de, no mínimo, 15.

“ A maneira mais comum de avaliar a eficácia de um filtro solar é a determinação de seu Fator de Proteção Solar (FPS)”.
Relação entre o FPS e a porcentagem de proteção proporcionada pelo protetor solar.
FTS 
                                     % de Proteção
2
                                 50
4
                                  75
8
                                    87.5
16
                                   93.8
32
                                   96.5
Infelizmente, o FPS é, principalmente, uma avaliação dos efeitos da radiação UVB sobre a pele, não representando, portanto, os efeitos da radiação UVA, mesmo porque não existe, ainda, um método de determinação de FPS para a radiação UVA, aprovado pelo FDA, apesar do mesmo reconhecer que a proteção contra a radiação UVA é importante para a redução dos efeitos danosos do sol sobre a pele, assim como para a redução dos riscos em indivíduos com pele suscetíveis.
O uso de protetores solares em crianças exige consideração especial, devido as suas características cutâneas peculiares e a maior proporção de área superficial com relação ao volume corpóreo.

Por fim, a exposição à luz solar na infância parece ser o maior fator de risco para o desenvolvimento do câncer de pele. Cerca de 80% da exposição solar de toda nossa vida, ocorre nos 18 primeiros anos. Como os efeitos nocivos das radiações solares são cumulativas, ou seja, vão se acumulando durante estes anos, recomenda-se a utilização de filtros solares diariamente, desde a infância inclusive em dias nublados.
Algumas dicas para cuidar da pele da criança no verão:

- Não abusar da exposição solar, principalmente entre 9:30 e 15:30.
- Usar boné ou chapéu, camiseta ou camisa, óculos escuros, quando estiver exposto aos raios solares por muito tempo.
- Aplicar  o  protetor  solar  certo  nas  áreas expostas, tendo o cuidado de aplica-lo vinte minutos antes  da exposição solar e reaplica-lo a cada duas horas, pois não oferece proteção para todo o dia. Deve ser reaplicado também após transpiração excessiva e ao sair da água, mesmo que haja no produto o anuncio de ser a prova d’água.
- Usar protetor solar mesmo nos dias nublados ou chuvosos, porque existe dose cumulativa de
radiação mesmo nos dias menos intensos de sol.
- Ensinar as crianças a se protegerem do sol o mais cedo possível.
- Iniciar  o  uso  de  protetor  solar  antes  de aprenderem a nadar, permitindo a exposição solar moderada. As  crianças  com  menos  de  nove meses  devem  ser  protegidas  só  com  roupas, evitando exposições prolongadas.
- Não esquecer de passar protetor solar adequado os lábios  do  seu  filho,  porque  o  sol  provoca desidratação neles também.
- Passar protetor mesmo que a criança esteja sentada na sombra.
- Evitar exposição solar quando houver lesão na pele ocasionada pelo sol em torno de uma a duas semanas.
- Não  usar  manteiga  ou  pomadas  não recomendadas pelo médico numa queimadura ocasionada pelo sol, pois, podem ocasionar mais irritações.
- Ter o cuidado de não deixar cair na pele bebidas tipo limonadas, coca-cola, suco de laranja, pois
podem  ocasionar  queimaduras  e  manchas escuras na pele. Se cair, retira-la com água e não passar só a mão ou enxugar com um pano.
- Usar hidratantes adequados para cada tipo de pele, após a exposição solar.
- Oferecer líquidos é importante para evitar a desidratação.
- O protetor ideal para seu filho depende de cada tipo de pele. Pergunte ao médico o melhor.


Postar um comentário