Beijar na boca de bebês, pode?


É comum ver pais, mães, tios e avós que beijam as crianças na boca, com o chamado “estalinho”. Por mais que seja uma demonstração de afeto inocente, essa prática não é recomendada por médicos e especialistas.

Não é indicado beijar as crianças na boca, devemos optar por outras formas de demonstração de amor e carinho para com nossas crianças, pois o beijo transmite muitas doenças e pode interferir no aspecto comportamental da criança.

Entre as doenças mais comuns transmitido pelo beijo são:

  • Cárie dentária: A cárie além de ser adquirida pela má higienização da boca, também pode ser transmitida pelo contato salivar. Beijar, compartilhar talheres, escovas de dente e até mesmo a prática de provar a comida do bebê antes dele comer são atitudes que podem influenciar na transmissão da cárie.


  • Doença do beijo: Trata-se um uma infecção causada pelo vírus Epstein-Barr, chamada mononucleose e também conhecida por doença do beijo, pois, é transmitida pelo beijo (devido à grande quantidade de vírus na saliva), por compartilhamento de objetos, ou ainda em frutas e legumes mal lavados.


  • Herpes: Infecção pelo vírus herpes simples, transmitida por meio de contato pessoal direto, como o beijo. Causa pequenas lesões semelhantes a aftas ou feridas.


  • Caxumba: É causada pelo paramyxovirus e provoca inchaços no pescoço e perto das orelhas.


  • Candidíase (sapinho): Causada por fungos, cria placas esbranquiçadas na boca, na garganta ou até nas genitálias. Para combater, é necessário submeter o paciente a tratamento antifúngico.


  • Gripe: O vírus influenza também é transmitido através de secreções. Em casos mais graves, pode provocar danos severos ao sistema respiratório.


  • Meningite A e C: Inflamação das meninges que é causada por vários tipos de micróbios, entre eles o meningococo. Pode ser transmitida de uma pessoa a outra, através de gotículas da tosse, espirro e beijo. E atenção: nem sempre é transmitida por indivíduos doentes – algumas pessoas abrigam o meningococo na garganta e podem retransmiti-lo, mesmo sem estarem doentes.

 Portanto, beijinho somente nas bochechas dos bebês. 
Postar um comentário