Asma Bronquica

O que é asma?
Asma é uma doença que determina crises de falta de ar, ocorrendo dificuldade na entrada do ar nos pulmões e principalmente na sua saída. Esta dificuldade é consequencia de um processo inflamatório crônico da vias aéreas, tendo como consequencia a liberação de certas substancias que determinam a contração dos músculos que envolvem os bronquios, estreitando a sua luz e causando a dificuldade na respiração. O estreitamento (broncoconstrição) é geralmente reverssível, porém, em pacientes com asma crônica a inflamaçãoo pode determinar a obstrução irreversssível ao fluxo de ar.

Quais as principais caracteristicas da asma?
1. Inflamação crônica das vias aéreas
2. Parcial reversibilidade da obstrução ao fluxo de ar
3. Hiper-responsividade bronquica a uma variedade de estímumulos

O que são hiper-responsividade bronquica?
É um aumento da sensibilidade que ocorre nos bronquios dos pacientes com asma. Trata-se de uma sensibilidade excessiva que determina uma exagerada capacidade de reagir a estimulos. Ocorre inflamação e contração dos músculos que envolvem os bronquios.

Quais são os sintomas da asma?
Tosse principalmente na metade da noite e no inicio da manhã, aperto no peito e falta de ar com ou sem chiado audível.

A asma tem cura?
Não, porém o tratamento atual de que dispomos permite um controle eficiente da doença, com períodos de remissão, permitindo uma vida normal. Em alguns pacientes em que a doença manifesta-se antes dos 16 anos de idade a doença pode regredir completamente.

A asma é uma doença hereditária?
Não. Existe, entretanto, uma predisposição genética familiar. O risco de desenvolver asma na infância está relacionado a presença da doença nos pais. Se um dos pais sofre de asma, o risco da criança desenvolver asma são de 25%. Se ambos tem asma esta taxa pode alcançar 50%. Se nenhum dos pais sofre de asma, o risco cai para 10%. Deve ser ressaltado que o relatado não é uma regra, pois, o filho de um pai alérgico não será necessariamente uma criança asmática. O contrario também pode acontecer: a criança pode ser o primeiro asmático da família.

O que pode desencadear a asma?

A asma pode ser desencadeada em consequência de inalação de poeira doméstica (ácaros), pólen, pêlos, substancia excretadas por animais, irritantes (fumaça de cigarro, poluição, ambiental, gás natural, propano), pó de giz, odores fortes, aerossóis químicos, mudança de temperatura, distúrbios emocionais, hiperventilação (riso, choro, grito), exerccios, infecções virais, refluxo-gastro-esofágico, alguns medicamentos como aspirina e outros antiinflamatórios não hormonais. Fatores endócrinos.

Como tratar a asma?
Na crise aguda, empregamos medicamentos que abrem rapidamente os brônquios. São os broncodilatadores. Podem ser veiculados através de bombinhas pressurizadas ou por nebulizadores. Estes medicamentos são utilizados como droga de resgate, ou seja, quando há crises agudas de falta de ar.
A asma é considerada uma doença inflamatória. Deve ser tratada, portanto, com antiinflamatórios.



Existem pelo menos três grupos de medicamentos antiinflamatórios utilizados na asma:
1. Corticoides: É o grupo de melhor resultado, utilizado sempre por via inalatória (tipo bombinha).
2. Cromonas: nedocromil e cromoglicato, muito utilizados em crianças. Também utilizados por inalação, principalmente na asma leve.
3. Modificadores de leucotrienos: já liberado para crianças maiores de seis meses, sempre por via oral, podendo ser administrado em associação com os corticóides inalados, quando esses sozinhos não controlam a doença.
Além dos broncodilatadores de curta ação, utilizados em crises agudas de asma, dispomos de um grupo composto por duas substancias de longa duração de ação. Pode ser associado com corticóide inalatório, na asma crônica, nos estágios mais avançados.

Quais os cuidados em relação ao meio ambiente?
A asma se caracteriza principalmente por uma inflamaação alérgica. Vários são os desencadeadores de crise: os ácaros da poeira domestica, os pelos e escamas de animais domésticos (gatos e cachorros), os alergenos liberados pelas baratas, os polens, etc.
Em relação aos ácaros algumas medidas devem ser tomadas:
1. Combater o ácaro da poeira domestica não é fácil, principalmente em ambientes úmidos cuja concentração alcança 1000 ácaros por grama de poeira. Um colchão pode apresentar de 10.000 a 10 milhões de ácaros, e, aproximadamente 10% do peso do travesseiro com dois anos de uso pode ser devida a presença de ácaros mortos. O colchão deve estar envolvido em tecido impermeável ou plastico e ser lavado semanalmente com água quente para remoção de ácaros e alergenos. Quanto aos travesseiros, evitar os que contenham penas ou espuma, dando preferência aos sinéticos. Lençois devem ser trocados semanalmente e lavados em água quente. Evitar os cobertores com pelos. É preferível os de fibra sintéticas e lavaveis. Estofados, cortinas e tapetes não são permitidos nos quartos de asmáticos, pois tapetes é um importante micro habitat para colonização do ácaro e constituem fonte de alergenos para que colchões sejam reinfestados.
Os tapetes que podem ser removidos devem ser levados ao exterior, batidos e colocados sob raios solares por pelo menos tres horas.
2. Limpar diariamente, ou mesmo mais de uma vez, o quarto de dormir, utilizando aspiradores de pó. Estes aparelhos, mais recentes, contem o filtro integral de micropartículas e combinam com alta e constante capacidade de filtração.
3. Os animais não são permitidos no interior das casas.
4. O combate as baratas inclui medidas físicas e quimicas. Providencias devem ser tomadas para evitar o acesso das baratas aos alimentos, aos dejetos, ao lixo e a água. A barata é um ser onívoro, ingerindo virtualmente tudo. O ambiente deve ser ventilado, evitando-se umidade e condensação. Vedar os ralos.
O combate químico constitui de várias substancias químicas. A mais indicada para pacientes asmáticos chama-se de hidrametilnone comercializada em dispositivos que contem iscas.
5. Diminuir a exposição interna a irritantes não alérgenicos, como fumaça de cigarro, odores fortes, sprays, poluentes químicos.

E as vacinas?
A imunoterapia especifica é utilizada há mais de noventa anos, porem, sua utilização atual é controversa, pois a moderna terapeutica disponível para asma é altamente eficaz e capaz de controlar a grande maioria dos pacientes. No Expert Panel Report 2- Guidlines for Diagnosis and Management of Asthma, do National Institutes of Health recomenda-se que a imunoterapia deva ser indicada quando se trata de asma mal controlada, ou quando é impossível evitar alergenos. No Guidlines da British Thoracic Society não se recomenda.
Postar um comentário